ONU apoia busca de recursos para República Centro-Africana

1 abril 2016

Conferência de doadores está prevista para o fim de 2016; chefe das Operações de Paz disse que novo governo deve analisar prioridades; responsável pediu compromisso dos funcionários da ONU para o fim da exploração e abuso sexual.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque. 

As Nações Unidas prometeram ajudar a criar um plano a ser financiado pela comunidade internacional para desenvolver e estabilizar a República Centro-Africana.

As informações foram dadas esta sexta-feira à Rádio ONU, em Bangui, pelo subsecretário-geral para as Operações de Paz. Hervé Ladsous disse que uma conferência de doadores está prevista para o fim do ano.

Estabilidade

O representante esteve na cerimónia de investidura do novo presidente centro-africano Faustin-Archange Touadéra, na quarta-feira. Num encontro entre ambos, o novo líder pediu o "maior apoio possível para estabilizar o país".

Herve Cut 01

Segundo Ladsous será necessário que o próprio governo identifique a sua visão para o futuro, apesar de o presidente ter falado de várias prioridades durante a cerimónia de posse.

O responsável disse que algumas das prioridades são evidentes mas devem ser analisadas ao detalhe para que depois sejam colocadas diante dos potenciais doadores para que tomem uma decisão.

O chefe de Operações de Paz disse que 1,7 mil ex-membros de grupos armados beneficiam de programas de desarmamento, desmobilização e integração com o apoio da ONU. Ele disse haver promessas de recursos para apoiar o processo.

Exploração e Abuso Sexual

Herve Ladsous também reuniu-se com o pessoal da Missão das Nações Unidas em território centro-africano.

Em contacto com os comandantes das forças militares e policiais, o representante lembrou sobre a necessidade compromisso pessoal para o combate à exploração e abuso sexual.

Sanções

Ladsous destacou igualmente a responsabilidade dos países que contribuem com forças ao destacar que estas devem ser enviadas após terem sido sensibilizadas, formadas e plenamente conscientes de sanções que podem enfrentar com depois da confirmação de alegações.

O chefe das Operações de Paz condenou a exploração e abuso sexual e reiterou propostas com vista a estabelecer tribunais marciais em locais onde os supostos crimes podem ter ocorrido.

Leia Mais:

Ban revela “extremo choque” após novos abusos na República Centro-Africana 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud