Perspectiva Global Reportagens Humanas

Uma entre cinco crianças africanas não recebe as vacinas necessárias

Uma entre cinco crianças africanas não recebe as vacinas necessárias

Baixar

Cimeira da OMS em Adis Abeba reúne ministros da Saúde; este é primeiro encontro específico sobre imunização no continente; Moçambique é destaque em relatório devido a programa de distribuição de vacinas.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova Iorque.

Segundo a Organização Mundial da Saúde, OMS, uma entre cinco crianças africanas não está a receber as vacinas necessárias. África é a região do mundo com o índice mais baixo de cobertura de imunização.

Para tentar reverter o quadro, a agência da ONU promove a partir desta quarta-feira a primeira Cimeira Ministerial sobre Imunização em África. O encontro de dois dias decorre em Adis Abeba, na Etiópia.

Benefícios

A OMS cita alguns avanços e benefícios da vacinação: nenhum caso de pólio foi registado no continente africano em mais de um ano e quando uma criança é vacinada, aumentam as chances de que continue a frequentar a escola.

A agência destaca que a conferência será marcante, porque pela primeira vez, ministros da Saúde e das Finanças estarão juntos, a declarar seu compromisso para melhorar os serviços de imunização.

Papel dos Pais

Participam também líderes religiosos e comunitários, uma vez que é essencial que os pais entendam que vacinar seus filhos é o melhor que pode ser feito pela saúde das crianças.

Apenas 20 países africanos financiam mais de 50% dos gastos com vacinação, enquanto a maioria depende de doações externas e esse será outro ponto a ser abordado na cimeira.

Moçambique

Um relatório recém-lançado pela OMS sobre o tema informa que até 2020, 90% dos territórios precisam ter cobertura de vacinação. Erradicar a pólio é uma outra meta.

Até 2014, Tunísia, Suazilândia e Marrocos estavam entre as 10 nações africanas com a melhor cobertura de vacinação. Mas Moçambique ganha um destaque especial devido a um programa de distribuição, feito em parceria com a organização internacional Village Reach.

O projeto levou a melhorias no transporte, na logística, na visibilidade de dados e na supervisão. Quase metade do país está a ser beneficiado com o projeto de distribuição de vacinas.

A OMS destaca que uma das chaves para o sucesso do programa moçambicano foi a participação de líderes de províncias e do Ministério da Saúde, que demonstraram abertura para abordagens diferentes e novas relacionadas aos sistemas de distribuição de vacinas.

Photo Credit
Apenas 20 países africanos financiam mais de 50% dos gastos com vacinação. Foto: OMS/S. Hawkey