Somália instala dezenas de "ímanes para atrair peixes" na sua costa

7 dezembro 2015

FAO participa em projeto com a União Europeia e o Japão; iniciativa pretende prestar auxílio à subsistência nas áreas da costa,  reforçar capacidade de resistência e abordar causas da pirataria.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

Impulsionar a pesca artesanal de pequena escala na Somália é um dos principais objetivos de 25 "ímanes instalados para atrair peixes" em mais de 3.000 quilómetros  da costa do país do Corno de África.

Os dispositivos de concentração dos animais fazem parte de uma iniciativa que tem o apoio da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, FAO, em parceria com a União Europeia. O Japão faz parte dos financiadores.

Boia e Tapete

Trata-se de uma boia flutuante e de um habitat formado por um tapete com poucos metros de diâmetro.

A esteira facilita o crescimento rápido das plantas, que atraem os peixes em grande número e criam novas zonas povoadas.

A FAO prevê que os dispositivos apoiem o rápido desenvolvimento a longo prazo em comunidades que vivem em áreas como Puntlândia, Galmudug e Banadir. Mas o foco é o investimento para reforçar os vínculos de mercado.

Desemprego

O representante da FAO na Somália disse que a iniciativa prevê impulsionar a subsistência costeira, reforçar a capacidade de resistência e atacar as causas da pirataria.

Richard Trenchard também mencionou o combate a práticas como a pesca ilegal, a degradação da pesca local, os altos níveis de desemprego entre os jovens e a insegurança alimentar.

Insegurança Alimentar

A chefe de delegação da União Europeia e o embaixador do bloco na Somália, Michele Cervone d'Urso, disse tratar-se de um complemento fundamental para os esforços para criar emprego nas zonas afetadas pela pirataria da Somália.

A agência da ONU considera a pesca sustentável um elemento essencial para União Europeiacombater a insegurança alimentar no país, onde mais de 1 milhão de pessoas enfrentam a forma mais grave do problema.

A FAO estima que 307,8 mil crianças menores de cinco anos sofrem de desnutrição aguda no território somali.

Leia Mais:

Cheias danificam infraestruturas essenciais na Somália

ONU aponta risco de recuo nos ganhos de direitos humanos na Somália

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud