ONU apela ao voluntariado e beneficência no Dia Internacional da Caridade
BR

5 setembro 2015

Secretário-geral elogia papel das instituições de caridade para atender necessidades humanas; 5 de setembro foi aniversário da morte do Prémio Nobel da Paz Madre Teresa de Calcutá.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O secretário-geral da ONU apelou às pessoas de todo o mundo para que se voluntariem e ajam de forma beneficente diante do sofrimento humano, por ocasião do Dia Internacional da Caridade assinalado este 5 de setembro.

Em nota, Ban Ki-moon  destaca que essas expressões de solidariedade ajudam na busca compartilhada da convivência em harmonia e na construção de um futuro pacífico e sustentável para todos.

Madre Teresa

A data coincide com o aniversário da morte da Madre Teresa de Calcutá, aos 87 anos, em 1997.

O chefe da ONU lembra que o reconhecimento da Prémio Nobel da Paz, em 1979, foi pelo seu trabalho para combater a pobreza. Ban destaca que ao receber a distinção a religiosa doou o dinheiro que acompanhava o prémio a algumas das pessoas mais pobres da Índia.

Este ano, assinala-se pela terceira vez a data criada por uma resolução da Assembleia Geral. O objetivo é sensibilizar indivíduos, ONGs e empresas sobre a importância da ajuda mútua através de ações voluntárias e filantrópicas.

Deslocados

O secretário-geral chamou a atenção para a necessidade atual de assistência humanitária que “nunca foi tão alta” e para os refugiados e deslocados que são “mais do em qualquer momento desde o fim da Segunda Guerra Mundial”.

Por isso, Ban defende que as instituições de caridade desempenham um papel cada vez mais vital em atender às necessidades humanas.

Generosidade

Ban afirmou que o desenvolvimento da ONU e das agências humanitárias também depende de doações do público, bem como da generosidade de governos para prosseguirem os seus trabalhos.

Entre as ações desenvolvidas por essas entidades ele destaca a resposta essencial às necessidades de salvamento, aos desafios do desenvolvimento, aos desastres naturais, aos conflitos armados e a outras situações de emergência.

O chefe da ONU lembra o reconhecimento da agenda de Ação de Adis Abeba dos recursos, do conhecimento e da capacidade de organizações filantrópicas e dos voluntários como parceiros inestimáveis para executar a nova agenda global.

A ser aprovada em Nova Iorque pelos chefes de Estado e de governo, a Agenda de Desenvolvimento Sustentável tem o prazo de implementarão pelos países até 2030.

Leia Mais:

Entrevista: Primeiro Dia Internacional da Caridade

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud