Escap pede inclusão econômica para acelerar crescimento na Ásia-Pacífico
BR

14 maio 2015

Relatório da agência da ONU cita bom desempenho das economias em desenvolvimento da região; ao mesmo tempo alerta que problemas estruturais e dependência de commodities vão continuar impedindo países de atingirem potencial.

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.

A Comissão Econômica e Social para Ásia e Pacífico, Escap, divulgou relatório esta quinta-feira pedindo inclusão econômica para acelerar o crescimento na região.

O documento cita o bom desempenho dos países em desenvolvimento na área em comparação ao resto do mundo.

Problemas Estruturais

Ao mesmo tempo, afirma que os problemas estruturais e a dependência excessiva de commodities vão continuar impedindo que as nações atinjam o seu potencial de crescimento.

A secretária-executiva da agência, Shamshad Akhtar, afirmou que “para melhorar o bem-estar da população, os países precisam ir além do foco na desigualdade de renda”.

Na sua opinião, “é necessário promover a igualdade de oportunidades”.

China

Para Akhtar, é importante promover a qualidade do crescimento e o compartilhamento da prosperidade. Ela pediu aos legisladores que implementem um crescimento inclusivo, mas alertou que isso exige um crescimento sustentável e uma estabilidade contínua.

O relatório da Escap mostrou que o avanço das economias em desenvolvimento da Ásia-Pacífico deve chegar a 5,9% este ano, bem perto dos 5,8% de 2014.

A renda per capita nesses países dobrou, em média, desde 1990. Mas os índices chamam mais a atenção na China, com uma alta de até 7 vezes, e também no Butão, no Camboja e no Vietnã.

Leia Mais:

Perdas por desastres naturais na Ásia-Pacífico foram de quase US$ 60 bilhões

Países da Ásia-Pacífico prometeram acabar com a Aids na região até 2030

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud