Bissau: ONU confere medalhas a elementos de segurança

29 janeiro 2015

Cinco polícias e um capitão do Exército foram agraciados com a homenagem, recebida das mãos do chefe do Escritório das Nações Unidas no país, o ex-presidente de São Tomé e Príncipe, Miguel Trovoada.

Amatijane Cande, da Rádio ONU em Bissau.

O representante especial do secretário-geral das Nações Unidas na Guiné-Bissau, Miguel Trovoada, agraciou cinco oficiais de polícia e um militar com medalhas das Nações Unidas numa cerimónia, esta quarta-feira, nas instalações do Escritório da ONU em Bissau, Uniogbis.

A cerimónia foi testemunhada pela ministra guineense da Defesa nacional e pelo ministro em Exercício da Administração Interna, Representantes do corpo diplomático, organismos sub-regionais e continentais e o pessoal ligado ao Sistema das Nações Unidas na Guiné-Bissau.

Reconhecimento

Entre os distinguidos com as medalhas especiais de serviço da ONU figuram dois portugueses, um norte-americano, um espanhol, um paraguaio e um brasileiro que falou em nome dos beneficiários deste gesto de reconhecimento.

Para o capitão Carlos Souza, os agraciados trabalharam “de forma subtil e invisível aos olhos leigos do senso comum.” O aprendizado e a troca de experiências com as instituições nacionais são os maiores legados que os profissionais da defesa e segurança podem ofertar, acrescentou.

Carlos Souza pediu respeito ao trabalho dos que lhes sucederão nestas atividades, mesmo sendo despercebidas. Para ele, a vontade interior de ajudar as instituições coirmãs a se reconstruírem e se reformarem justifica a presença desses homens no solo guineense.

Defesa e Segurança

O ato simboliza o reconhecimento e agradecimento pelos serviços prestados ao país e a paz mundial e foi organizado pela Secção de Reforma da Polícia do Uniogbis, Gabinete Integrado das Nações Unidas para a Consolidação da Paz na Guiné-Bissau, cujo Conselheiro Policial Sénior fez saber que quadros militares e policiais de uma dezena de países encontram-se no país no âmbito da promoção da cooperação internacional.

Na ocasião, o Coronel Doudou Sall sublinhou aquilo que considera de pequenas conquistas alcançadas, destacando a implementação do modelo de policiamento comunitário, a avaliação de situação de segurança nas fronteiras/ilhas e o recomeço da certificação do pessoal de segurança.

Edificiação

Apesar dos feitos, Sall reconheceu ser ainda longa o caminho a percorrer, reiterou, porém a firme determinação da sua secção em continuar a contribuir para o cabal cumprimento do mandato do Uniogbis e a consequente edificação de uma sociedade de paz e de justiça social na Guiné-Bissau.

O Uniogbis foi estabelecido pela resolução 1876 de 2009 do Conselho de Segurança da ONU, a missão conta com a participação de polícias e militares que englobam os serviços de apoio ao estado de direito e instituições democráticas e contribuem para a reforma nos setores da defesa e segurança.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud