Brasil: homicídio é principal causa de mortes entre meninos de 10 a 19 anos
BR

4 setembro 2014

Dados são do Unicef; agência compilou a maior pesquisa mais sobre o tema na história da entidade; cerca de 10% das meninas no mundo já sofreram algum tipo de violência sexual.

Laura Gelbert, da Rádio ONU em Nova York.

O homicídio é a principal causa de morte entre meninos com idades entre 10 e 19 anos no Brasil.

O dado foi divulgado nesta quinta-feira em Nova York, pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef.

Compilação

Segundo o Fundo, o documento é a maior compilação de dados da história sobre violência a crianças. Ele menciona abusos físicos, sexuais e mentais.

O relatório do Unicef usa dados de 190 países e documenta a violência onde “crianças deveriam estar seguras”, como suas comunidades, escolas e casas. O estudo detalha os efeitos duradouros dos abusos. A pesquisa revela ainda que crianças expostas à violência têm maior probabilidade, de quando adultas, se tornarem desempregadas, viverem na pobreza e serem violentas com os outros.

Os autores destacam que nem todas as pessoas estão dispostas a falar sobre a violência que sofreram.

Mortes

Um quinto das vítimas de homicídios em todo mundo é de crianças e adolescentes com menos de 20 anos. Ao todo, foram cerca de 95 mil mortes em 2012.

A Nigéria tem o maior número de homicídios de crianças no mundo, com 13 mil.

O documento também aborda questões como intimidações, bullying, e punições físicas.

Violência Sexual

Segundo o relatório, cerca de 120 milhões de meninas com menos de 20 anos em todo o mundo já sofreram algum tipo de violência sexual. Isto representaria cerca de uma em cada 10 meninas.

Ele afirma ainda que quase metade das adolescentes entre 15 e 19 anos acreditam que “um marido tem direito de bater na esposa em determinadas circunstâncias”.

Dados de 30 países apontam que cerca de 70% das meninas com idades entre 15 e 19 que foram vítimas de abuso físico ou sexual nunca buscaram ajuda. Muitas disseram que não achavam que era abuso, ou não viam a questão como problema.

Estratégias

O Unicef aponta seis estratégias para permitir às sociedades, de famílias a governos, que previnam e reduzam a violência contra crianças. Elas incluem dar apoio aos pais, fortalecer os sistemas e serviços judiciais, criminais e sociais. O documento menciona também a conscientização sobre a violência e seus custos humano e socioeconômico, com o objetivo de mudar atitudes e normas.

A agência lançou a iniciativa #ENDViolence no ano passado para instar ação coletiva para combater a violência contra criança.

Com o lema, “tornar o invisível, visível”, a iniciativa destaca o fato de que a violência está em todos os lugares. No entanto, muitas vezes acontece às escondidas ou é tolerada por conta de normas culturais e sociais.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud