FAO celebra sucesso no controlo da praga de gafanhotos em Madagáscar

19 dezembro 2013

Resultado foi verificado dias depois da operação contra o gafanhoto migratório; na última época agrícola, mais de 9,5 milhões de malgaxes estavam em risco de insegurança alimentar.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

A Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, FAO, disse estar a ter sucessos no combate à praga de gafanhotos em Madagáscar, numa ação implementada em colaboração com o governo.

A agência refere que 50 mil hectares de terra ficaram livres dos insetos, menos de um mês após terem iniciado as operações de controlo.

Arroz e Milho

As ações visam deter a invasão do gafanhoto migratório, que devora culturas de arroz e de milho. O receio é que o problema agrave a situação do país, com mais de 4 milhões de afetados pela insegurança alimentar.

O outro motivo de preocupação é o dano potencial aos meios de subsistência de milhões de malgaxes. A agência está a usar helicópteros e automóveis para fazer o levantamento e a monitorização das operações. 

Parasita

A FAO revelou planos de usar um pesticida biológico que contém um fungo para matar os insetos, que atua como parasita.

Neste momento, estão a ser usados diferentes pesticidas que foram previamente selecionados para que tenham “o menor dano possível sobre o meio ambiente.”

Segurança Alimentar

A agência realça que já há ameaças às culturas de milho e de arroz, ainda no início da safra. O programa de três anos visa proteger a segurança alimentar dos agricultores das áreas rurais.

Com o início da invasão de gafanhotos, em abril do ano passado, foram afetadas várias culturas além de ter sido desencorajado o plantio nas áreas afetadas.

Na época agrícola 2012/2013, as colheitas sofreram uma redução, calculando-se que 9,6 milhões de malgaxes estejam em risco de insegurança alimentar.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud