OMS quer impulsionar vacinação contra pólio, após novos casos

26 novembro 2013

Damasco e Alepo registam primeiros casos do tipo 1 da da doença; sete países da região iniciaram campanha de vacinação em massa para proteger 22 milhões de crianças menores de cinco anos.

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova Iorque.*

Agências das Nações Unidas devem trabalhar com as organizações humanitárias para garantir a vacinação de todas as crianças sírias independentemente de onde estejam.

Nesta segunda-feira, a Organização Mundial da Saúde, OMS, alertou que um total de 17 casos de poliomielite tipo 1 foi confirmado na Síria.

Surto 

Juntamente com o Fundo da ONU para a Infância, Unicef, a agência deve levar a cabo a iniciativa para responder ao surto de pólio por seis ou oito meses dependendo da área e do trabalho dos especialistas.

De acordo com a OMS, 15 casos foram registados na província de Deir Al Zour, dois outros foram também detetados na capital, Damasco e em Alepo.

As autoridades disseram que um plano de vacinação foi implementado por toda a região. Sete países e territórios esperam imunizar 22 milhões de crianças menores de cinco anos.

Emergência

Num comunicado conjunto, todas as nações da OMS na região oriental do Mediterrâneo disseram que a erradicação da pólio é uma emergência.

Segundo a OMS, dada a situação atual na Síria, com movimentos frequentes da população e problemas de imunização, é muito grande o risco do vírus selvagem da pólio se espalhar por toda a região.

As autoridades já emitiram um alerta de monitorização para que toda a área continue em busca de novos casos e dê continuidade ao processo de imunização.

*Apresentação: Denise Costa.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud