Azevêdo afirma que “é tudo ou nada” nas negociações de comércio
BR

13 novembro 2013

Diretor-geral da OMC afirmou que apesar do avanço nas reuniões risco de fracasso está presente; ele quer que países fechem acordo sobre facilitação do comércio nas alfândegas, desenvolvimento e agricultura.

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.

O Diretor-geral da Organização Mundial do Comércio, Roberto Azevêdo, afirmou que “é tudo ou nada agora nas negociações de comércio”.

Segundo Azevêdo, os países estão muito perto do sucesso para aceitar um fracasso, mas ao mesmo tempo alertou que o risco de um fracasso ainda está presente.

Consenso

O chefe da OMC disse que os países devem chegar a um consenso sobre o texto que será apresentado na reunião da Rodada de Doha, que acontecerá em Bali, no mês que vem.

Azevêdo declarou que o documento sobre as operações de comércio nas alfândegas aprovado no domingo passado pelos representantes dos países, não é perfeito mas serve de base para um acordo.

No caso das questões de desenvolvimento, relativas aos países menos desenvolvidos, o diretor-geral afirmou que as negociações estão progredindo bem.

Boa-Fé

Falta, segundo Azevêdo, finalizar os trabalhos em relação às taxas sobre o algodão e “duty free”.

No caso da agricultura, ele disse que está otimista com a proposta do G-33, grupo de países em desenvolvimento. Segundo Azevêdo, ainda há uma ou duas áreas mais delicadas, principalmente em relação às salvaguardas.

O chefe da OMC disse que todos os lados estão trabalhando em boa-fé e com desejo genuíno de encontrar uma solução para o impasse.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud