União Interparlamentar suspende filiação do Egito

7 outubro 2013

Entidade de 163 países-membros condiciona readmissão à realização de novas legislativas; país africano regista novos confrontos com dezenas de mortes; Somália e Butão readmitidos na entidade internacional.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque. 

A União Interparlamentar, UIP, disse, esta segunda-feira, que os desenvolvimentos recentes no Egito, levaram à decisão de retirada do país da entidade.

Em comunicado, a UIP alega eventos que culminaram com a dissolução do Parlamento, a 3 de julho deste ano, que ditaram “que o país não tem uma instituição que possa exercer a adesão no grupo.”

Funcionamento

Para ser um membro da UIP, “deve haver um Parlamento em funcionamento,” refere a entidade.

De acordo com agências noticiosas, confrontos têm lugar no país que nesta segunda-feira registou a morte de cinco militares num ataque contra alvos de segurança.

Os relatos apontam que no domingo, mais de 50 pessoas foram mortas, principalmente na capital Cairo, em confrontos entre forças de segurança e milhares de partidários do deposto presidente Mohamed Mursi.

Democracia

A nota da UIP refere o conselho diretivo manifesta total apoio ao povo egípcio e o seu desejo de democracia.

A entidade diz que está a monitorizar de perto a situação, tendo-se oferecido para continuar a mobilizar e a apoiar os esforços do país para construção de um parlamento forte e democrático. A readmissão deve depender da realização de eleições para um “novo parlamento.”

A nota da UIP dá conta de que a entidade passa a integrar 163 membros com a admissão da Somália e do Butão.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud