RD Congo: ONU pronta a intervir com avanço do M23 para Goma

16 julho 2013

Combates entre o exército e o grupo rebelde levam a ‘nova emergência’ e fuga de dezenas de milhares; capacetes azuis dizem estar em prontidão para defender civis; ONU aprovou envio de uma brigada de intervenção para realizar operações ofensivas há quatro meses.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

As Nações Unidas manifestaram, esta terça-feira, a sua preocupação com a eclosão de novos combates na província do Kivu Norte do leste da República Democrática do Congo, RD Congo.

Dois meses após cessação de combates, relatos obtidos pelo Alto Comissariado para Refugiados, Acnur, apontam para “nova emergência” devido à fuga de dezenas de milhares de pessoas nos últimos dias.

Grupo Armado

Os confrontos na capital provincial, Goma, envolvem as forças governamentais congolesas e o grupo armado M23, formado por dissidentes do exército congolês.

Nesta segunda-feira a Missão da ONU na RD Congo, Monusco, disse estar pronta para usar o seu poder para proteger os civis de Goma do avanço do movimento rebelde.

Em março, a ONU aprovou o envio de uma brigada de intervenção da Monusco para realizar operações ofensivas contra grupos armados que ameaçam a paz no leste da RD Congo “com ou sem o exército.”

Ataque

A missão exortou a todos os lados que exerçam moderação, após um ataque levado a cabo pelo que chama “grupo significativo do M23 às Forças Nacionais.” O incidente ocorreu no domingo em Mutaho, situado a 8 km a noroeste de Goma.

A Monusco aponta para o uso de artilharia pesada e de um tanque de guerra no ataque, tendo destacado que qualquer tentativa do M23 avançar em direção a Goma será considerada uma ameaça direta aos civis.

Medidas

A  missão sublinha que os capacetes azuis estão prontos para tomar quaisquer medidas necessárias, incluindo o uso da força letal para proteger os civis.

O Acnur refere ter deteriorado a situação na área de Masisi, no noroeste de Goma, onde se regista um fluxo semanal de 600 pessoas por semana, para o Uganda.

Na segunda-feira, o Acnur fez um carregamento de emergência adicional de itens como tendas, rolos de plástico, cobertores, colchonetes e combustível. Agências parceiras estão a cargo do fornecimento de comida e água.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud