Mali: norte-americano e senegalês apoiam liderança da Missão da ONU

8 julho 2013

Nota do Secretário-Geral nomeia o gestor David Gressly e o académico Adulate Bathily para seus representantes especiais adjuntos na nova operação do país da África Ocidental.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

A Missão de Estabilização Multidimensional Integrada no Mali, Minusma, conta, desde esta segunda-feira, com um norte-americano e um senegalês como representantes especiais adjuntos do Secretário-Geral.

Em nota, o chefe das Nações Unidas, Ban Ki-moon, anunciou a nomeação de David Gressly e Adulate Bathily para apoiar Bert Koenders, que o representa na operação do país da África Ocidental. A Minusma foi criado pelo Conselho de Segurança em abril passado.

Administração

Gressly deve acumular as funções com as de coordenador residente, coordenador Humanitário e representante no país do Programa da ONU para o Desenvolvimento.

O norte-americano, mestre em Administração de Empresas e Finanças Internacionais, já liderou interinamente o Escritório das Nações Unidas no país, Unom, e a Minusma antes da chegada de Koenders.

Publicações

Já o académico senegalês, Adular Bathily, lecionou História durante mais de 30 anos na Universidade Cheikh Anta Diop, no seu país, e em diversas instituições de ensino superior do mundo.

A sua experiência inclui publicações extensivas sobre história africana e das áreas político-militar. O também membro do conselho diretivo da Coligação para o Diálogo sobre África integra vários organismos académicos e da sociedade civil. Bathily é doutor em História e em Letras de Estado.

O mandato da Minusma inclui apoiar o processo político e a recuperação do conflito que opôs o governo maliano e rebeldes, e desalojou centenas de milhares de pessoas desde o início do ano passado.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud