Cheias, secas e ciclones tropicais mataram 370 mil pessoas numa década

3 julho 2013

Relatório regista impacto de chuvas torrenciais e secas graves em Angola e Moçambique; Portugal integra lista de países com 66 mil mortes devido à vaga de calor de 2005.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova Iorque.* 

A Organização Meteorológica Mundial indica que cheias, secas e ciclones tropicais, entre 2001 e 2010, causaram a morte de 370 mil pessoas. O dado corresponde a um aumento de um quinto em relação aos dez anos anteriores.

De acordo com o relatório “Uma Década de Climas Extremos”, lançado esta quarta-feira, em Genebra, o período foi, igualmente, o mais chuvoso desde 1901.

Influência

Em entrevista à Rádio ONU, da cidade suíça, o vice-presidente da OMM, Antônio Divino Moura falou do caso de África, ao destacar a influência da concentração global na atmosfera de gases que causam o efeito de estufa.

“Nós tivemos, no leste de África, anos menos chuvosos nessa década. Em termos de clima global, o principal gás do efeito de estufa, que causa aquecimento global, o gás carbónico, CO2, passou de uma concentração de 389 partes por milhão para até este ano atingirmos uma marca nunca antes atingida nos anos recentes de 400 partes por milhão. Tudo indica que você está caminhando para tempos mais quentes”, disse.

Chuvas Torrenciais

Angola e Moçambique aparecem destacados no relatório por terem enfrentado fenómenos como chuvas torrenciais e secas graves que levaram à perda de colheitas de cereais durante o período.

Portugal integra dos mais afetados pelo calor extremo na Europa. Devido ao fenómeno, em 2003, foram registadas mortes como parte do grupo que inclui França, Alemanha, Itália e Espanha. Em algumas regiões portuguesas, uma vaga de calor ocorrida em 2005 provocou a que foi considerada a pior seca em décadas.

Temperatura Global

O estudo defende que eventos extremos do clima, como cheias e secas, ocorreram na última década de uma forma sem precedentes na história moderna.

A temperatura média global entre os anos de 2001 e 2010 foi de 14,47° C, a mais quente desde 1850.

*Apresentação: Eleutério Guevane.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud