ONU vê risco em deportação de crianças norte-coreanas pela China
BR

31 maio 2013

Grupo, preso no Laos, foi enviado à China, onde ficou 17 dias até ser retornado à Coreia do Norte; Escritório de Direitos Humanos teme que governo norte-coreano submeta menores a “tratamento cruel”; há relatos, não confirmados, de que crianças seriam órfãs.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova York.*

O Escritório de Direitos Humanos da ONU informou que está preocupado com a decisão da China de retornar nove crianças norte-coreanas à casa. Os menores foram detidos pela polícia do Laos, que os entregou à China logo depois. O grupo tentava fugir da Coreia do Norte.

Para as Nações Unidas, com o retorno, autoridades norte-coreanas poderão submeter os menores a um tratamento severo incluindo torturas. O alerta foi feito nesta sexta-feira pelo porta-voz do Escritório de Direitos Humanos, Rupert Colville.

Vulnerabilidade

Colville disse que o Escritório vê com pesar o fato de os Governos do Laos e da China terem, aparentemente, revogado as obrigações de não-devolução de pessoas. Segundo ele, o grupo é considerado frágil, uma vez que pode ser formado por órfãos norte-coreanos.

Na quinta-feira, o alto comissário para Refugiados, António Guterres, disse que o Laos era obrigado, pelo direito internacional, a proteger indivíduos cuja segurança e bem-estar sejam ameaçados pelo regresso aos países de origem, mesmo não sendo signatário da Convenção sobre os Refugiados de 1951.

Condições

O Escritório da ONU pediu à China e ao Laos que esclareçam o destino das crianças, bem como as condições da sua devolução.  Ao governo de Pyongyang foi pedido que conceda acesso imediato a um grupo de pessoas independentes para que verifiquem o estado e  o tratamento dos menores.

*Apresentação: Mônica Villela Grayley.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud