OMS aborda desafios para imunizar crianças de países desenvolvimento

18 abril 2013

Apelo da agência antecede início da Semana Mundial da Imunização, a 20 de abril; divulgado plano conjunto que também inclui a Aliança Gavi e a Fundação Bill & Melinda Gates.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova Iorque.*

A Organização Mundial da Saúde, OMS, considerou essencial que seja melhorado o fornecimento e o sistema logístico para alcançar 22 milhões de crianças de países em desenvolvimento que ainda não estão protegidas de doenças.

A declaração consta de um alerta sobre os impactos da falta de logística para a distribuição e aplicação de vacinas em todo o mundo. A Semana Mundial da Imunização tem início neste sábado, 20 de abril, em todo o planeta.

Desempenho Africano

Em entrevista à Rádio ONU, de Genebra, a médica da OMS, Regina Ungerer, destacou o desempenho africano em iniciativas anteriores.

“A África é sempre o ponto mais focal quando se pensa em alguma coisa mais global. Porquê se você consegue diminuir as doenças infecciosas prevalentes na África e consegue vacinar o maior número de crianças em África, obviamente em números globais você consegue muitos bons resultados. A África e o sudeste asiático é onde existe menos cobertura vacinal.”

Propostas

A OMS, o Unicef, a Aliança Gavi e a Fundação Bill & Melinda Gates conceberam um plano conjunto para reforçar os sistemas de vacinação. Uma das propostas é criar embalagens especiais para que as vacinas possam ser transportadas por até quatro dias sem refrigeração.

Regina Ungerer mencionou os desafios de imunização destacando exemplos de Moçambique e Brasil.

Logística

“Moçambique, que sofre muito com as inundações, para poder passar de uma província à outra, às vezes não tem estrada para poder vacinar crianças naquela província ou até mesmo fazer chegar a vacina àqueles locais. Na Amazónia, para você vacinar todas as populações indígenas, às vezes você demora 14 dias para chegar de barco em alguma aldeia. Imagina fazer uma viagem longa, de dias, para chegar num lugar. Como manter essa vacina? Cada vacina tem a sua temperatura ideal de ser mantida. E essas coisas têm que ser bem estruturadas, ter uma logística bem organizada.”

O plano também sugere a melhora dos sistemas de informação e registo de crianças, a utilização de “armazéns móveis” para distribuir vacinas em sistemas remotos e o uso de tecnologia móvel para melhor controlo dos estoques de vacina.

A OMS lembra que em anos recentes, ressurgiram casos de difteria, sarampo e rubéola em várias nações, como a França, a Itália e o Paquistão. Mais de 180 países participam da Semana Mundial da Imunização.

*Apresentação: Eleutério Guevane.

Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News 

Baixe o aplicativo/aplicação para  iOS ou Android

Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud