Acnur preocupado com aumento de relatos de atrocidades no Mali

25 janeiro 2013

Agência defende que conflito alastra e surgem informações sobre graves violações dos direitos humanos; conflito já provocou cerca de 230 mil deslocados internos.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Alto Comissariado da ONU para Refugiados, Acnur, disse estar preocupado com relatos de atrocidades cometidas por rebeldes ligados ao Al-Qaeda no Mali.

Em conferência de imprensa, em Genebra, a agência apontou para a necessidade urgente de ajuda humanitária, num momento em que o conflito alastra e surgem mais informações sobre graves violações dos direitos humanos.

Medicamentos

A porta-voz do Acnur, Melissa Fleming, contou a jornalistas que os  relatos são feitos por desalojados internos e refugiados.

A representante referiu que forças rebeldes esvaziaram medicamentos dos hospitais e que corpos estão espalhados por todo o lado. Segundo acrescentou, os relatos dão conta de feridos trazidos à cidade, que incluem vários combatentes estrangeiros.

Tropas Francesas

O Escritório da ONU de Assistência Humanitária, Ocha, defende que tropas francesas e malianas tomaram o controlo das cidades de Diabali, Konna e Douentza, no oeste e centro do país.

Por outro lado, o escritório confirma a chegada do primeiro efetivo da Força Integrada de Apoio ao Mali liderada pelos Africanos, Afisma, ao país da África Ocidental.

Rebeldes

Estima-se que 11 mil pessoas abandonaram as suas casas devido aos recentes combates entre o governo e rebeldes islamitas. Desde 10 de Janeiro, outros 4,4 mil malianos fugiram a países vizinhos, além dos cerca de 230 mil deslocados internos.

As agências falam do aumento das necessidades humanitárias, principalmente no norte e em áreas de combate. Por outro lado, parceiros humanitários reduzem as suas atividades devido à insegurança.

A ONU lançou, igualmente, um pedido com vista a garantiar acesso humanitário seguro para distribuição de assistência urgente em alimentação e proteção.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud