Segundo Cepal, Brasil vai fechar 2012 com o menor crescimento da AL
BR

2 outubro 2012

Estimativa é que o PIB do país alcance 1,6%; consumo privado estimula região.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

 A Comissão da ONU para América Latina e Caribe, Cepal, prevê que o Produto Interno Bruto do Brasil aumente apenas 1,6% neste ano. O país deverá ter o menor crescimento entre as nações latinas.

Em relatório apresentado nesta terça-feira, em Santiago do Chile, a Cepal ressalta que somente no início do segundo semestre foram notados sinais de recuperação da economia brasileira.

Influências

A Comissão destaca ainda que o Brasil passou por um processo de desaceleração mais forte que os outros países durante o último semestre do ano passado.

Segundo a Cepal, a média da expansão da América Latina e Caribe neste ano será de 3,2%. A previsão, menor do que os anos anteriores, leva em conta as dificuldades econômicas da Europa, Estados Unidos e China.

Para 2013, a Cepal prevê recuperação das economias da Argentina e do Brasil. A Comissão da ONU ressalta que no geral, os governos da América Latina e Caribe têm certa capacidade para enfrentar uma possível piora do cenário econômico externo.

O PIB do Panamá terá o maior crescimento da região, de 9,5%, enquanto o Paraguai será o único país a ter uma contração de menos 2%, devido ao clima, que destruiu parte da produção de soja do país.

 Consumo

O relatório destaca ainda que a demanda externa de produtos da região foi menor, com queda dos preços da maioria dos bens básicos de exportação.

Já a inflação dos países do bloco mantém a tendência de baixa, devido ao menor aumento do preço dos alimentos. O consumo interno na América Latina e Caribe está estimulado, graças ao aumento dos postos de trabalho e dos salários mais altos.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud