ONU diz que morte de crianças menores de cinco anos caiu pela metade
BR

13 setembro 2012

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova York.*

Um relatório das Nações Unidas sugere que o mundo conseguiu reduzir em mais da metade os níveis de mortalidade de crianças menores de cinco anos.

No documento, divulgado nesta quinta-feira por Unicef, Banco Mundial e a Organização Mundial da Saúde, OMS, os países de língua portuguesa estão entre as nações que conseguiram avanços na área.

Vacinação

De acordo com o relatório, “Compromisso com a Sobrevivência Infantil, uma Promessa Renovada”, a redução da mortalidade ocorre no período de 1990 a 2010. Atualmente, 6,9 mihões de crianças morrem antes do 5º ano de vida. Em 1990, eram 12 milhões.

A médica da OMS, Regina Ungerer, falou à Rádio ONU, de Genebra, sobre a queda da mortalidade infantil na África lusófona.

“A mortalidade de menores de cinco anos em Moçambique caiu, por exemplo, de 910 para 490, quase metade no ano de 2010. Mostra um enorme progresso nas questões nas questões de sociais, programa de vacinação, melhorias de acesso aos serviços de saúde e outras...Outro país que teve uma enorme diminuição, mas não num grau tão grande, é a Guiné-Bissau, que diminuiu desde 1100 no ano de 1990 para 790 em 2010. Não chega a ser a metade mas, também uma diminuição importante. Todos os países de língua portuguesa tiveram progressos importantes na mortalidade de menores de cinco anos, nas melhorias sociais etc.”

Brics

Regina Ungerer ressaltou os avanços no combate à mortalidade no Brasil.

“O Brasil é um dos países que teve uma enorme diminuição da mortalidade, e que já tem vindo a registar o fenômeno há muito tempo. É um país emergente, faz parte dos Brics, que estão numa situação bastante vantajosa. A mortalidade caiu mais de metade entre 1990 e 2010. Podemos dizer relativamente à mortalidade dos menores de cinco anos, que era em torno de 110 e está em torno de 56, é um enorme avanço”, explicou.

No resto do mundo, a maioria das mortes ocorre no sul da Ásia e na África Subsaariana, que concentram mais de 80% dos óbitos infantis.

Doenças como pneumonia, complicações no parto, diarreia e malária são tidas como as principais causas de morte. A metade dos óbitos de crianças atualmente ocorre em cinco países: Índia, Nigéria, Repúplica Democrática do Congo, Paquistão e China.

*Apresentação: Mônica Villela Grayley.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud