Futebol em Portugal beneficia refugiados do Mali e do Quénia

20 julho 2012

Jogo do Benfica, esta quarta-feira, foi aberto pelo ex-jogador Eusébio e atraiu 33 mil torcedores ao Estádio da Luz, em Lisboa; evento, que contou com Ronaldo e Roberto Carlos, celebrou parceria do clube português com o Acnur.

[caption id="attachment_220205" align="alignleft" width="350" caption="Um Ato contra a Fome"]

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

Um jogo de futebol entre o clube português Benfica e um equipa de astros liderados por Luís Figo arrecadou fundos para beneficiar refugiados do Mali e do Quénia.

O Benfica venceu os adversários, na partida desta quarta-feira, por 5 a 1 no Estádio da Luz, em Lisboa.

Brasileiros

O jogo, batizado de “Um Ato contra a Fome”, comemorou a parceria firmada entre o clube português e o Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados, Acnur. Na ala vip da plateia, estava o chefe do Acnur, o ex-primeiro-ministro de Portugal, António Guterres.

A equipe do capitão Figo tinha os brasileiros Ronaldo e Roberto Carlos, o italiano Fabio Cannvaro e o jamaicano Dwight Yorke. O técnico foi o sueco e ex-treinador da seleção da Inglaterra Sven Goran Eriksson.

Compareceram à partida cerca de 33 mil adeptos. Parte da receita arrecadada com a venda de bilhetes será utilizada em programas de alimentação do Acnur no Mali e no Quénia.

Os atletas entraram em campo com a marca do Acnur no uniforme. Segundo a agência da ONU, o jogo foi o primeiro de uma série de eventos beneficentes entre o Benfica e o Acnur.

O antigo primeiro-ministro, António Guterres, disse que estava encantado com o facto de 33 mil pessoas terem comprado o ingresso mesmo num momento de crise para o futebol. Ele elogiou a solidariedade dos adeptos ao trabalho com os refugiados.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud