Emprego formal no Brasil aumenta mais de 50%, afirma OIT
BR

19 julho 2012

Segundo relatório lançado nesta quinta-feira, foram criados mais de 15 milhões de postos de trabalho no país entre 2003 e 2010; estudo indica também queda no índice de trabalho infantil.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

Um estudo da Organização Internacional do Trabalho, OIT, no Brasil aponta crescimento expressivo do emprego formal no país, com a criação de mais de 15 milhões de postos de trabalho entre 2003 e 2010.

O aumento de 53% no emprego formal é um dos destaques do relatório “Perfil do Trabalho Decente no Brasil”, que avaliou, pela primeira vez, todos os 26 estados mais o Distrito Federal.

Regiões

De Brasília, o autor do estudo da OIT, José Ribeiro, explicou à Rádio ONU que apesar do crescimento, as desigualdades no setor continuam.

“Esse emprego formal cresce de forma mais expressiva nas regiões mais pobres e com mercados de trabalhos menos estruturados, a exemplo do Norte, onde o avanço foi de 85% e no Nordeste, 65%. Temos severas desigualdades regionais. Poderíamos chegar, por exemplo, a 70% em São Paulo, no Distrito Federal e em Santa Catarina, mas apenas 26% no Piauí. Apesar do avanço, temos ainda um desequilíbrio regional.”

Crianças

Segundo a OIT, o índice de trabalho infantil no Brasil diminuiu para 9,8% entre 2004 e 2009. O número de crianças e adolescentes ocupados reduziu em mais de 1 milhão no período.

O especialista José Ribeiro destaca que alguns estados estão perto de erradicar a prática entre crianças de cinco a nove anos de idade.

"Os estados nos quais o trabalho infantil já apresenta uma taxa praticamente ínfima, inclusive com alguma insignificância amostral nas pesquisas domiciliares, são Roraima, Pará, Maranhão, Paraíba, Alagoas, Sergipe, Santa Catarina, Mato Grosso do Sul e Mato Grosso. São Paulo, Rio de Janeiro e Distrito Federal também.”

Escolaridade

De acordo com José Ribeiro, outro aspecto positivo apresentado no relatório é o contínuo declínio do desemprego no país. Mas a taxa de desemprego entre os jovens no Brasil segue a tendência mundial de alta.

A OIT afirma ainda que 90% dos novos empregos formais no país demandam que o candidato tenha pelo menos o ensino médio completo. O “Perfil do Trabalho Decente no Brasil” avaliou no total 10 dimensões do setor, como rendimentos, jornada de trabalho, segurança e igualdade de gênero.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud