No Egito, 4 milhões de mulheres não têm carteira de identidade
BR

11 julho 2012

Um ano após a primavera árabe, governo lança Iniciativa Mulheres Cidadãs, em parceria com a ONU Mulheres e o Pnud para levar documentação a quem precisa.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

O governo do Egito, em parceria com a ONU Mulheres e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, Pnud, está lançado a Iniciativa Mulheres Cidadãs. Com o projeto, 2 milhões de egípcias vão receber carteira de identidade pela primeira vez.

Mas segundo a ONU Mulheres, o número de egípcias sem o documento chega a 4 milhões. Uma das consequências é a falta de acesso a serviços financeiros, como empréstimos e assistência à educação e saúde. Não ter identidade também complica na hora da votação.

Transição

A iniciativa pretende garantir o direito básico das cidadãs durante a transição democrática no Egito, um ano após a revolução. O país elegeu recentemente um novo presidente, Mohammed Mursi.

A primeira fase do projeto começou na semana passada, com a emissão das primeiras 300 identidades para mulheres de Qaliubia, no norte do país. O plano é fornecer 40 mil documentos na província.

A Iniciativa Mulheres Cidadãs terá a duração de três anos e conta ainda com o apoio do Crescente Vermelho.

A ONU Mulheres destaca também que as identidades vão ajudar a aumentar a participação das egípcias no processo político e melhorar a posição econômica delas.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud