Ocha aponta melhora nas condições sanitárias no Haiti
BR

2 julho 2012

Projetos ajudam no combate ao cólera, mesmo assim contaminação tem aumentado; população em acampamentos corre mais risco.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

O Escritório para Coordenação de Assuntos Humanitários da ONU, Ocha, afirma que as condições sanitárias para os deslocados no Hati “melhoraram consideravelmente” nos últimos meses.

O Ocha cita uma doação de US$ 3,5 milhões, equivalentes a cerca de R$ 7 milhões, feita no começo do ano pelo Fundo Central de Resposta a Emergências. O dinheiro permitiu que agências da ONU, como o Unicef, lançassem projetos para eliminação de resíduos.

Cólera

Ainda de acordo com o departamento da ONU, desde março, houve melhora no sistema de esgoto em 120 campos de deslocados e queda de um terço dos sanitários a céu aberto.

Segundo o representante do Ocha no Haiti, Herbert Schembri, sem esse trabalho, haveria um maior risco da população contrair cólera, especialmente durante a época de chuvas.

Ameaça

Apesar de queda de 75% nos deslocados desde o terremoto, mais de 390 mil haitianos ainda vivem em acampamentos. A maioria convive com a ameaça de cólera em áreas onde as condições sanitárias são precárias.

De acordo com o Ocha, dados do governo do Haiti mostram que os casos de cólera têm aumentado, com 227 pessoas infectadas por dia nas três primeiras semanas de junho, contra 61 casos diários em março.

Mais de 7 mil pessoas já morreram no Haiti devido ao cólera e mais de meio milhão foram afetadas, desde o começo da epidemia, em outubro de 2010.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud