Crises humanitárias africanas provocam recorde de refugiados em 2011

18 junho 2012

Fluxos de pessoas a partir de Côte d’Ivoire, Líbia, Somália e Sudão são apontados como a causa do recorde de deslocados; África do Sul recebeu mais pedidos de asilo. 

 
 

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova Iorque.*

 As crises humanitárias na Líbia, Somália, Sudão e Côte d’Ivoire, também conhecida como Costa do Marfim, são apontadas como a causa do número recorde de deslocados que cruzaram fronteiras entre nações.

No relatório “Tendências Globais 2011”, lançado nesta segunda-feira, o Alto Comissariado da ONU para Refugiados, Acnur, aponta que 800 mil pessoas saíram dos seus países de origem no ano passado.

Novos Deslocados

 O Acnur afirma que desde o ano 2000, nunca tantas pessoas tinham sido registadas como refugiadas. Pelo quarto ano consecutivo, a África do Sul recebeu mais pedidos de asilo. 

 Custo

O Alto Comissário para Refugiados, António Guterres, considerou a evolução uma “escalada épica” com um “custo pessoal enorme para todos os afetados.”

Ao todo,  42,5 milhões de pessoas terminaram o ano de 2011 como refugiadas, deslocadas internas ou no processo de busca por asilo.

Grande parte destes  continua do Afeganistão, seguido pelo Iraque, Somália, Sudão e República Democrática do Congo.

*Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud