Acnur fala de “aumento dramático” de refugiados no Sudão do Sul

4 junho 2012
Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.
O alto comissário da ONU para os Refugiados, António Guterres, alertou que a situação humanitária está a agravar-se no estado sul-sudanês  do Alto Nilo.
Em nota, publicada esta segunda-feira, Guterres refere que a agência e os seus parceiros são confrontados com um “aumento repentino de refugiados recém-chegados” à região.

Deslocados

A ONU estima em dezenas de milhares o número de civis deslocados após confrontos que se seguiram ao envio de forças do exército sudanês a Abyei, em Maio. O enclave, rico em recursos naturais, é disputado pelo Sudão e pelo Sudão do Sul.

Conversações entre os dois países decorrem na capital etíope, Addis Abeba, sob a mediação de um Painel de Alto Nível da União Africana.

Refugiados

Nas últimas três semanas, cerca de 35 mil refugiados chegaram ao Alto Nilo  , o que aumentou a população de refugiados do  estado para o dobro. De acordo com o Acnur, o país oferece acolhimento a 150 mil sudaneses.

Guterres indicou que a maioria dos novos refugiados do estado sul-sudanês está nas proximidades da fronteira com o Sudão, para garantir a sua segurança.

A agência indica ainda que o facto está a aumentar os desafios de logística e de distribuição de ajuda humanitária imediata, e citou relatos de pessoas obrigadas a comer folhas de árvores para sobreviver durante a caminhada.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud