Exclusão de ciganos persiste na Europa, aponta Pnud
BR

24 maio 2012

Segundo pesquisa, eles sofrem discriminação e não estão conscientes dos seus direitos; foram entrevistados ciganos que vivem em 11 países, incluindo Portugal.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

A maioria dos ciganos ainda enfrenta discriminação e exclusão social em países da União Europeia, aponta um estudo do Programa da ONU para o Desenvolvimento, Pnud.

Foram entrevistados ciganos em 11 países, como Portugal, Grécia, Itália, Espanha e República Checa. Segundo o Pnud, a situação destes é pior do que a dos não-ciganos que vivem em áreas proximas.

Emprego e Moradia

De acordo com a pesquisa, os ciganos não conhecem os seus direitos, garantidos pelas leis da União Europeia. Além disso, a situação deles é pior em áreas como emprego, educação, saúde e moradia.

O Pnud destaca alguns pontos do estudo: menos de um terço dos ciganos tem um emprego pago e quase metade vive em casas onde não há cozinha, banheiro ou eletricidade.

Fome

Em média, 40% dos entrevistados vivem em um lar onde alguém da família foi dormir com fome pelo menos uma vez no mês passado, porque não havia dinheiro para comprar comida suficiente.

O conselheiro político do Pnud, Andrey Ivanov, disse que “os desafios enfrentados pelos ciganos são tão graves que requerem uma solução certeira.”

A pesquisa foi feita pelo Pnud, em parceria com o Banco Mundial, a Comissão Europeia e a Agência da União Europeia para os Direitos Fundamentais.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud