OMS alerta para surto letal de sarampo em África

24 abril 2012

Situação também é considerada como grave na Europa e na Ásia; cerca de 19 milhões de casos foram registados na África Subsariana.

[caption id="attachment_208777" align="alignleft" width="350" caption="OMS: vacina atual supera as anteriores"]

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

África é um dos continentes que regista o reaparecimento de um surto letal de sarampo, advertiu a Organização Mundial da Saúde, OMS. A situação é também tida como grave na Europa e na Ásia.

Cerca de 19 milhões de casos foram registados na África Subsariana, em áreas onde crianças menores de cinco anos não foram vacinadas contra a doença em 2010.

Sistemas de Saúde

De acordo com a OMS, os sistemas de saúde pública debilitados e a  falta de apoio financeiro para adquirir vacinas, aliados à redução do apoio político, fizeram recuar ganhos obtidos no controle e tratamento da doença mortal.

Na década 2000/2010, o impulso à imunização de rotina na África Subsariana, conseguiu reduzir as mortes devido ao sarampo em até 85%.

Colaboração

Em colaboração com o Fundo da ONU para a Infância, Unicef, e outros parceiros a agência anunciou o desenvolvimento de uma nova iniciativa para manter o ritmo de controlo e erradicação do sarampo. A campanha visa enfrentar os desafios até o final de 2015 e reduzir a mortalidade por sarampo em 95% relativamente aos níveis de 2000.

Entretanto, os maiores desafios apontados foram os fracos sistemas de imunização e países com alta densidade populacional e elevada migração.

Países Industrializados

A hesitação à vacinação, particularmente em algumas nações industrializadas, e os distúrbios civis foram tidos como fatores que condicionam o acesso das crianças à vacinação contra o sarampo.

Até o final de 2020, a eliminação do sarampo e da rubéola deve ocorrer em pelo menos cinco das seis regiões de atuação da OMS.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud