Entrevista: Prefeita Leila Galvão, Brasiléia

11 janeiro 2012

Quase dois anos após o terremoto que matou mais de 200 mil pessoas no Haiti, muitos haitianos decidiram mudar de vida e recomeçar no Brasil. Os primeiros migrantes teriam chegado ao país um ano após o terremoto, à procura de novas oportunidades. Muitos deles contaram que receberam promessas de emprego através de "agências de viagens", o que segundo a mídia brasileira, seriam traficantes de seres humanos.

Os haitianos que chegaram ao país estão se concentrando em algumas cidades como Tabatinga, no Amazonas, e Brasiléia, no Acre.

A prefeita de Brasiléia conversou com a Rádio ONU nesta segunda 9, sobre a situação na cidade.

Segundo ela, por causa da grande concentração de migrantes no centro de Brasiléia, o lugar já está sendo chamado de "Praça dos Haitianos".

A entrevista da prefeita ocorreu um dia antes de o Governo Federal informar que, a partir de agora, irá exigir visto de entrada para hatianos que quiserem viajar ao Brasil.

Acompanhe a conversa com Mônica Villela Grayley.

Tempo: 12´02´´

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud