Chefe do FMI louva boas políticas económicas da África Sub-Sahariana

26 dezembro 2011

Christine Lagarde adverte para perigo de o continente sofrer com a crise na zona euro; FMI pronto para aumentar apoio e ouvir países africanos.

[caption id="attachment_202083" align="alignleft" width="350" caption="Christine Lagarde"]

Joyce de Pina, da Rádio ONU em Nova Iorque

A chefe do Fundo Monetário Internacional, Christine Lagarde, afirmou na Nigéria que os problemas das economias desenvolvidas podem “parecer estar longe de África”, mas num contexto de globalização, como o actual, nenhum país ou região “está imune a riscos”.

As declarações foram feitas durante a primeira visita de Lagarde ao continente africano enquanto responsável máximo do FMI. Um périplo que começou na Nigéria e vai terminar na África do Sul a 7 de janeiro.

Boa aluna

Ainda na Nigéria, a chefe do FMI louvou a política económica adotada na África Sub-Sahariana, que permitiu à região criar uma plataforma para o progresso através da promoção de maior crescimento, maior investimento e redução da pobreza.

No entanto, Lagarde advertiu que a actual crise financeira, em especial na zona euro, pode arrastar o resto do mundo, incluindo África. Para a chefe do FMI, “os laços comerciais e financeiros, motores do desenvolvimento nos bons tempos, ironicamente tornam-se em meios para disseminar riscos económicos”.

A visita à Nigéria também serviu para a responsável prometer às economias africanas que o FMI vai ser um melhor “parceiro”, procurando criar mais diálogo e ser mais cuidadoso com as necessidades do continente.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud