ONU lança primeira base global de dados sobre casos de tráfico humano
BR

10 outubro 2011

Mais de 2,4 milhões de pessoas são vítimas de grupos criminosos em todo o mundo; estatísticas baseiam-se em números de 127 países.

[caption id="attachment_206106" align="alignleft" width="350" caption="Mais de 2,4 milhões são vítimas"]

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.*

O Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime, Unodc, anunciou nesta segunda-feira a criação da primeira base global de dados sobre tráfico humano.

O banco de dados baseia-se em informações de 127 países.

Vítimas e Criminosos

Segundo o Unodc, mais de 2,4 milhões de pessoas são vítimas de criminosos para fins de tráfico humano.

Em 2009, o Relatório Global da agência revelou que dois em cada cinco países jamais registraram uma condenação sequer sobre tráfico de pessoas.

Apesar de muitos tratarem o problema como crime, ainda existem dificuldades na hora de aplicar a lei para punir os responsáveis.

O banco de dados traz a nacionalidade das vítimas e dos criminosos, rotas de tráfico, veredictos e outras informações sobre os casos.

Juízes e Promotores

É possível encontrar também histórias reais relatadas em tribunais.

O objetivo é ajudar promotores, juízes e advogados além de legisladores.

Jornalistas, por exemplo, poderão acompanhar como as leis nacionais são aplicadas para levar os criminosos à justiça.

No momento, a base de dados tem mais de 150 casos de pelo menos 30 países. Os organizadores esperam publicar mais 100 casos nos próximos meses.

*Apresentação: Leda Letra.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud