Tribunal Penal Internacional investigará violência na Cote d’Ivoire
BR

3 outubro 2011

Promotor-chefe do órgão, Luis Moreno Ocampo, deve apresentar relatório em um mês; segundo relatos recebidos pela ONU, milhares de pessoas morreram durante violência pós-eleitoral.

[caption id="attachment_205785" align="alignleft" width="350" caption="Luis Moreno-Ocampo"]

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova York.*

O Tribunal Penal Internacional, TPI, com sede em Haia, na Holanda, informou que irá investigar crimes cometidos durante a violência pós-eleitoral em Cote d’Ivoire, também conhecida como Costa do Marfim.

Em nota, o promotor-chefe do TPI, Luis Moreno Ocampo, informou que análises preliminares sugerem “uma base razoável para crer que crimes da competência do Tribunal tenham sido cometidos” no país africano, a partir de 28 de novembro passado, a data das eleições.

Simpatizantes e Opositores

Relatos recebidos pelas Nações Unidas indicam que milhares de pessoas morreram e pelo menos 600 mil foram deslocadas devido à violência causada após o resultado da votação presidencial.

O impasse foi resolvido com a posse do presidente, Alassane Ouattara, e a após quatro meses de confrontos violentos entre simpatizantes e opositores do candidato rival e presidente do país na época, Laurent Gbagbo.

Segundo investigações preliminares, ambos os lados foram acusados de cometer atrocidades.

De acordo com o TPI, até novembro, o promotor-chefe do Tribunal, Luis Moreno Ocampo, deverá apresentar um relatório com informação adicional sobre o tema.

*Apresentação: Leda Letra.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud