Ban diz que não endossa candidaturas ao Conselho de Segurança (Português Brasil)

18 abril 2011

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

O Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, afirmou que a decisão sobre candidaturas ao Conselho de Segurança é tomada pelos países-membros da organização. A nota, emitida no sábado, teve como objetivo desfazer qualquer mal entendido de que ele estaria apoiando um país em particular.

O porta-voz de Ban explicou aos jornalistas que o "Secretário-Geral da ONU não endossa nenhum país para o Conselho de Segurança, apesar de ele desejar sorte a todos os candidatos ao órgão".

Agências de Notícias

O comunicado foi publicado logo após comentários de Ban Ki-moon a um repórter da agência de notícias húngara, MTI. O veículo teria informado "que o Secretário-Geral apoiava a candidatura da Hungria a um assento rotativo no Conselho de Segurança."

Mas de acordo com a nota do porta-voz de Ban, ele teria sido perguntado pelo jornalista se acreditava que a Hungria tinha uma boa chance de obter a vaga. Pelo comunicado, Ban respondeu que "esperava que a Hungria continuasse trabalhando com os países-membros da ONU na tentativa de obter votos necessários nesta primavera, (estação atual no Hemisfério Norte)".

Maioria

O porta-voz de Ban afirmou que "deve ficar claro que o Secretário-Geral disse que os candidatos ao Conselho de Segurança são todos qualificados e precisam trabalhar com os demais países-membros da ONU para obter o apoio para suas candidaturas".

Para ser eleito para uma cadeira rotativa no órgão, os Estados candidatos precisam de uma maioria de dois terços na Assembleia Geral, que tem 192 membros. O Conselho de Segurança tem cinco assentos permanentes e 10 rotativos. No momento, o órgão abriga dois membros temporários de língua portuguesa: Brasil e Portugal.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud